Skip to main content
COVID-19:

Literacia Financeira

Novembro 2020
Raquel Mendes, Gestora de Produto da área de produtos de poupança e investimento

 

Home Banking | Vantagens e Segurança

O que precisa de saber:

  • Perante a relevância da poupança na economia e ao longo da nossa vida, é importante mudar o padrão da poupança em Portugal.
  • A criação de um Fundo de Emergência e o foco na poupança regular são fundamentais.
  • Ensinar às gerações futuras a importância do dinheiro e da poupança é decisivo.

Tendência da Poupança em Portugal vs Pandemia Covid 19

 

A taxa de poupança das famílias portuguesas, face ao seu rendimento disponível, atingiu mínimos históricos nos últimos anos. Em 2019, a poupança em Portugal representava 6,7% do rendimento, em comparação com a média da zona euro que registou uma taxa de 13% no final do 4º trimestre de 2019.

Apesar desta tendência histórica descendente, em períodos de crise económica e financeira, como o que atravessamos, a poupança tende a aumentar, por isso, no 2º trimestre de 2020, registou-se um pico na taxa de poupança em Portugal de 10,6% (versus 24,6% na Zona Euro).

Para esta subida relevante contribuíram a incerteza quanto ao futuro e o confinamento. O confinamento, ao reduzir o consumo, acabou por ser a principal razão desta poupança forçada.

 

 

Importância da Poupança



A 31 de outubro celebra-se o Dia Mundial da Poupança, um dia para relembrar a relevância da poupança para o investimento privado e para o crescimento económico, e a sua importância perante o desconhecimento do impacto económico, do aumento da esperança média de vida e do envelhecimento da população nas próximas décadas.

Esse dia tem um papel igualmente importante em alertar-nos quanto à necessidade de disciplina na hora de gastar e poupar. É imperativo manter esta tendência positiva na taxa de poupança, criando hábitos sustentáveis nesse sentido.

No ciclo de vida, o padrão de poupança vai-se alterando de acordo com o rendimento disponível e as necessidades/objetivos ao longo do mesmo. Infelizmente, no atual cenário de Pandemia, perder parte ou todo o rendimento disponível é uma realidade presente.

Por isso, de forma a conseguirmos cumprir com os nossos objetivos e, se necessário, lidar com um imprevisto, recorrendo ao nosso Fundo de Emergência, devemos começar a encarar a poupança como uma despesa, tão importante como qualquer outra, tornando-a a nossa primeira despesa do mês.

 

 

Focar na Regularidade

 

Na hora de poupar, o senso comum diz-nos que uma poupança pequena, mas regular, custa muito menos. Assim, apesar de existirem várias opções na hora de poupar, foquemo-nos na poupança progressiva de pequenos montantes:

  • É possível programar a poupança regular através de entregas mensais de montante fixo, de acordo com um objetivo pré-definido;
  • Podemos optar pelo arredondamento de alguns débitos na nossa conta (compras, transferências, débitos diretos, prestação de CH.), cujo valor pode ser transferido para uma conta poupança;
  • Ou simplesmente optar por uma ordem permanente de transferência da nossa conta à ordem para a conta poupança associada, na qual definimos o montante e o dia da transferência.

Além das sugestões apresentadas, de forma generalista, é aconselhado que se comece com um valor pequeno que possamos colocar de lado numa base semanal, quinzenal ou mensal. O que importa é que poupemos ao nosso próprio ritmo, de acordo com a nossa situação financeira, de forma realista, perante as nossas responsabilidades, e comprometida com os nossos objetivos futuros.

 

 

Educar os aforradores de amanhã

 

Para mudar o padrão da poupança em Portugal, é decisivo ensinar a importância do dinheiro e da poupança às crianças. Tendo em mente que as crianças aprendem pelo exemplo, há que manter a coerência entre aquilo que lhes ensinamos e o que praticamos. É por isso fundamental demonstrar comportamentos financeiros responsáveis no dia a dia, que podem incluir a existência de um orçamento familiar, a criação do já referido Fundo de Emergência e a preocupação na poupança regular. Um método prático, sobejamente conhecido, que nos ajudará a explicar-lhes o tema da poupança é o método Gastar, Poupar e Ajudar. Resumidamente, consiste em ter 3 mealheiros com diferentes objetivos. Um para as despesas imediatas e necessárias, outro para as despesas no futuro, que poderão estar relacionadas com algum objetivo concreto, e o último para, desde de pequeninos, começarem a aprender a ser solidários com o próximo.

Artigos anteriores

Planeamento Financeiro: Ponte para uma reforma tranquila

g

Planeamento Financeiro: Ponte para uma reforma tranquila